Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso.Saiba mais

Compreendi
aa

Sindicato Independente dos Médicos

Madeira: o deficit democrático é uma constante

18 maio 2012

A DESTRUIÇÃO DO SISTEMA DE SAÚDE NA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA CONTINUA (…)

O Sindicato Independente dos Médicos-SIM, exige o cumprimento da Lei na Região Autónoma da Madeira.

Decorreu ontem a 1ª reunião com o Governo Regional da Madeira após a denúncia do Acordo Colectivo de Trabalho para trabalhadores com Contrato Individual de Trabalho, assinado a Julho/2010.

Esta originalidade de ”rasgar um acordo”, ainda não tendo decorrido metade do tempo da sua vigência, e com muitas das cláusulas ainda não cumpridas, em vez de se preocupar em prestar os melhores cuidados, e de evitar as perdas sucessivas de idoneidades formativas e do êxodo para outros hospitais de profissionais altamente qualificados, fala por si de quem tem esta responsabilidade.

Não contente com isso o Governo, pela voz do Secretário Regional dos Assuntos Sociais, anuncia a denúncia do acordo aos trabalhadores com contrato em funções públicas onde propõe extinguir descanso compensatório, aumentar a insegurança laboral, impor a mobilidade arbitrária e a indefinição dos locais de trabalho com o argumento de “uma redução de custos em 20 milhões de euros" impostos pelo Programa de Ajustamento Económico e Financeiro para a Região Autónoma da Madeira”.

Esta falácia cai pela base quando estas malfeitorias se fossem aplicadas só vigorariam daqui a 3 anos e meio.

Só encontramos uma explicação: é uma medida para Alemães, Continentais e a troika ver… ou ainda mais grave como uma forma de pressão inadmissível junto dos médicos que têm sido intransigentes na defesa dos doentes e da qualidade dos serviços prestados, e que de modo algum são responsáveis pelos desvarios económicos actuais.

O SIM não entende os fundamentos de tal denúncia mas sabe que “O coração tem razões que a razão desconhece” e só o desvario o explica.

O SIM exige o cumprimento da lei e os dos acordos assinados de boa fé.

O SIM quer contribuir para que os serviços de Saúde da Madeira e do Hospital Nélio Mendonça volte a ser uma referência no País.

O SIM será intransigente na defesa dos Médicos e na protecção dos doentes da Região Autónoma da Madeira, tendo apresentado uma contra proposta.

O SIM privilegia a concertação social e o acordo. Sem o envolvimento e o empenhamento dos profissionais as reformas não são possíveis, muito menos quando existe espírito de perseguição a profissionais que tão só pretendem o melhor para os seus doentes.

 

Lisboa, 18 de Maio de 2012                                           O Secretariado Nacional

Últimos ConcursosVer Concursos

Torne-se sócio

Vantagens em ser sócio