Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso.Saiba mais

Compreendi
aa

Sindicato Independente dos Médicos

A máquina, a maratona e o médico no meio

09 junho 2012

No mundo cibernético e das redes sociais, deparamos com coisas extraordinárias.

O exemplo que quero compartilhar é o texto escrito por um jovem Estudante de Medicina do 5º ano no Facebook (e cuja identidade preservo dado não ter ainda obtido  a sua autorização para o fazer).

São estas coisas que nos fazem correr e lutar pelos colegas mais novos e futuros.

Obrigado pelo exemplo.

Mas lamentar não me vale de nada, por isso fica por aqui. O que quero fazer é apelar os meus colegas, aos mais velhos e aos mais novos especialmente. A que nunca baixem a cabeça. A que nunca se deixem levar pelo rebanho. Peço que nunca se minorizem, nunca achem que o esforço foi em vão, nunca deixem que alguém vos diga que são descartáveis, substituíveis! Não somos substituíveis, não somos mais um! E isso não faz de nós prepotentes. Viemos para isto porque acreditamos que podemos levar com esta responsabilidade nos ombros, é uma realidade. E isso é algo que nem todos querem. Nós queremos. Mas queremos fazê-lo com as condições justas e com a capacidade de respeitar a vida do doente e a nossa. Exorto-vos a nunca desistir da luta, a arriscar o pescoço, a arriscar manchar o nome, a sair à rua e a dizer "NÃO! Recuso-me a trabalhar por 5 euros à hora! Eu valho mais!". Quando começarmos a aceitar trabalhar a preço de saldo, estamos a dar o primeiro passo para o abismo dos estágios não remunerados "para ganhar experiência". Nunca. Nunca poderemos deixar isso acontecer.

 TEXTO INTEGRAL Link

Partilhar

Tags

Horas ExtraCalculadora

Torne-se sócio

Vantagens em ser sócio