Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso.Saiba mais

Compreendi
aa

Sindicato Independente dos Médicos

O confisco

20 junho 2012

Convém não esquecer.

Hoje é dia de confisco de subsídio de férias que se soma ao confisco mensal da dízima para pagar a crise.

Decidir sobre o roubo/confisco parece ter sido fácil. Mais grave é que a promessa inicial de roubar por um prazo de dois anos está agora entregue a uma enigmática data acoplada a "reposição logo que possível".

Olhando para a eficácia com que o Governo decidiu o roubo/confisco (retirar direitos constitucionais não parece tirar o sono aos governantes) temos que ficar irritados pela iniquidade da medida.

Até agora o Governo não mexeu nas Parcerias Público-Privadas mesmo que o Tribunal de Contas e múltiplos juristas digam que há motivo para rasgar contratos e renegociar.

Até agora não há reforma séria do Estado, das autarquias ou das empresas públicas.

A redução da despesa ataca-se pelo lado mais fácil.

O Governo, eleito para decidir sobre o Estado, parece ter perdido o vigor inicial que levaram muitos a idealizá-lo como cego e imune aos que, ao longo de anos, tomaram de assalto o poder económico e político.

Por isso todos temos a obrigação de protestar e de recordar que estamos a ser confiscados mensalmente em 10% da nossa remuneração, que fomos esta semana roubados do subsídio de férias, parte integrante da nossa remuneração e que está a ser desviado para tapar os buracos de muita corrupção e de muito roubo sem que os responsáveis sejam conhecidos ou, ao menos, penalizados socialmente.

Partilhar

Tags

Últimos ConcursosVer Concursos

Torne-se sócio

Vantagens em ser sócio