Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso.Saiba mais

Compreendi
aa

Sindicato Independente dos Médicos

DN: Governo volta a falhar meta para Médicos de Família

20 janeiro 2018
DN: Governo volta a falhar meta para Médicos de Família
DN, 20 jan 2018, Pedro Vilela Marques

O Governo falhou pela segunda vez consecutiva uma meta assumida pelo próprio ministro da Saúde: a de acabar o ano com meio milhão de utentes sem Médico de Família. Dados avançados ao DN pela Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS) mostram que em dezembro de 2017 mais de 700 mil portugueses inscritos nos Centros de Saúde (707 206) ainda estavam fora das listas.

Mas porque é tão complicado ficarmos sequer próximos de atingir uma meta já assumida por governos anteriores? "Há duas grandes razões: os médicos reformam-se mais cedo e os atrasos no lançamento dos concursos para colocação de médicos após internato", argumenta o Secretário-Geral do Sindicato Independente dos Médicos. Jorge Roque da Cunha acrescenta ainda, em relação ao ano que agora terminou, "o facto de não se terem constituído as 25 USF B e outras 25 do tipo A programadas".

"Os concursos deviam ser mais céleres e as listas de utentes redimensionadas, tendo em conta o contexto sociogeográfico. Estamos a preparar os exames de abril e ainda não foram colocados os de outubro. No último concurso tivemos mais de 300 vagas e cerca de 250 ocupadas, o que quer dizer que perdemos 50 pelo caminho, ou porque não concorreram sequer, ou porque concorreram e entretanto desistiram", defende Rui Nogueira. Um número de desistências que leva Roque da Cunha a dizer que é preciso criar condições para atrair os Médicos de Família, desde logo com o redimensionamento da lista de utentes, de 1900 para 1500 doentes por clínico.

Ler artigo completo em DN.
Últimos ConcursosVer Concursos

Torne-se sócio

Vantagens em ser sócio