Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso.Saiba mais

Compreendi
aa

Sindicato Independente dos Médicos

JN: Apenas um médico substituído das 126 demissões anunciadas

28 outubro 2018
JN: Apenas um médico substituído das 126 demissões anunciadas
Jornal de Notícias, 26 outubro 2018, Inês Schreck

Quase todos os meses há notícias de pedidos de demissão de dirigentes hospitalares, isolados ou em bloco, em protesto pela falta de condições para garantir a qualidade e a segurança dos cuidados prestados.

Mas são raros os casos em que tais anúncios têm consequências na organização dos serviços. Pelas contas do JN, das 126 demissões anunciadas este ano em nove hospitais do país, apenas uma resultou em substituição, no Hospital de Faro. Mais de metade dos casos não são reconhecidos pelas administrações.

O protesto de 52 diretores e chefes de serviço do Hospital de Gaia é um dos exemplos. Anunciaram a demissão em bloco numa conferência de imprensa, mas a administração garante que não recebeu qualquer pedido e que "todos se mantêm a trabalhar e a exercer os cargos normalmente". No Hospital Amadora-Sintra, a demissão dos chefes de equipa de Ginecologia/Obstetrícia também não terá sido oficialmente concretizada. Ninguém foi substituído e o hospital diz que a Urgência "está a funcionar normalmente".

"Gritos de alerta"

É com indignação que o secretário-geral do Sindicato Independente dos Médicos (SIM) vê as administrações negar demissões que foram públicas, como a de Gaia, e outras sobre as quais foi informado por escrito. Para Roque da Cunha, estão a aproveitar-se do facto de os médicos legalmente não poderem abandonar as funções até serem substituídos. "Estão a desvalorizar estes gritos de alerta, sem resolver nada, porque sabem que os médicos não podem deixar os cargos".

Tal como o líder do SIM, o bastonário da Ordem dos Médicos garante que os diretores de serviço só podem abandonar os cargos quando são substituídos. Miguel Guimarães aconselha os hospitais e o Ministério da Saúde a não desvalorizarem estes "gritos de alerta" de médicos que lutam por melhores condições para hospitais e doentes.

Artigo completo em Jornal de Notícias.

Partilhar

Tags

Horas ExtraCalculadora

Torne-se sócio

Vantagens em ser sócio