Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso. Saiba mais

Compreendi
aa

Sindicato Independente dos Médicos

SIM apoia utilização de software desenvolvido pelo Estado

18 novembro 2016

O Centro Hospitalar de Leiria migrou recentemente com sucesso os seus sistemas informáticos para o SClínico Hospitalar e SONHO V2, sistemas desenvolvidos dentro da administração pública.

Apesar de estar ciente dos constrangimentos iniciais inerentes a uma mudança desta dimensão, o SIM não pode deixar de manifestar o seu apoio à utilização de software desenvolvido pelo Estado.

Numa altura em que as restrições orçamentais continuam a ser apontadas como fator impeditivo da eliminação dos cortes existentes no Serviço Nacional de Saúde, o SIM não pode compreender que mantenha o uso de software externo com custos de milhões de euros ao mesmo tempo que está disponível software desenvolvido dentro da administração pública.

O SClínico Hospitalar, presente em mais de 50 centros hospitalares, apresenta ainda como vantagens a facilidade de acesso à informação clínica integral do utente, seja da consulta, seja do internamento ou ainda dos episódios de urgência, através da Plataforma de Dados da Saúde.

É neste âmbito que o SIM apoia a migração para o SClínico Hospitalar e SONHO V2, já prevista para o IPO de Lisboa, esperando que a mesma ocorra também nos restantes hospitais e centros hospitalares, onde o software do Estado não está presente.

Também nos Cuidados de Saúde Primários se torna de primordial importância a adoção do software público, eliminando-se assim o uso do oneroso software de entidade externas.

O SClínico Cuidados de Saúde Primários (CSP), em uso em mais de 300 unidades funcionais do Serviço Nacional de Saúde, ao contrário do software de entidade externas, permite a partilha integral da informação com os profissionais hospitalares e restantes unidades funcionais dos CSP, além de permitir uma adequada integração dos sistemas de monitorização das unidades funcionais e das ARS. Relembra-se que esta monitorização não é possível com o software de uma entidade externa, não sendo também possível a partilha integral da informação clínica na Plataforma de Dados da Saúde com nenhum software de entidades externas.



Partilhar

Tags

Últimos Concursos Ver Concursos

Torne-se sócio

Vantagens em ser sócio