Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso.Saiba mais

Compreendi
aa

Sindicato Independente dos Médicos

A Greve

27 dezembro 2011

A TSF transmite a secura das coisas simples. Diz:

Contactado pela TSF, o gabinete do ministro da Saúde disse que o SIM foi recetivo à proposta da tutela sobre a desmarcação da greve.

Com efeito, o SIM não poderia responder eticamente de outro modo à solicitação do Governo. E aqui perdoar-nos-á a TSF a ousadia da correcção. A proposta de desconvocação da greve partiu do Governo (Ministério da Saúde, em peso, e Ministério das Finanças, através do Secretário de Estado da Administração Pública, subscritores com os Sindicatos Médicos dos ACT em vigor, maltratados por Lei do Orçamento de Estado que a Assembleia da República validou largamente).

Claro que já circulam as teorias mais mirabolantes, numa espiral imaginativa que orgulharia Hollywood.

Os dirigentes do SIM cederam a ameaças de processos e despedimentos.

Os dirigentes do SIM safaram a sua vidinha aceitando magnânimos cargos em troca da venda da classe médica.

Os dirigentes do SIM não souberam espremer o Governo e obrigá-lo quiçá à demissão.

Tantos revolucionários de dia seguinte!

Os médicos vão continuar a ser mal pagos? Vão e têm toneladas de razão para estarem danados.

Mas o SIM foi sensível à desmarcação da Greve para permitir normalidade negocial.

Não sabemos/não podemos/não devemos agir eticamente de outro modo, mesmo sabendo que muitos vão saltar para este comboio que recolocámos em andamento: a negociação colectiva. Sejam bem vindos se vierem por bem.

 

Últimos ConcursosVer Concursos

Torne-se sócio

Vantagens em ser sócio